terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Respigado de Brasil - Colônia de Banqueiros (II)


BARROSO, Gustavo. Brasil – Colônia de Banqueiros. 2ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1934. Páginas 76, 78, 108.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -   

O rol demonstra que não é só o Brasil a vítima do Super Estado Capitalista sem entranhas, mas o mundo inteiro. Daí a sua aflição, a sua inquietação, a sua angústia, o seu desespero. Está mergulhado num pego em que pululam as sanguessugas e estrebucha sugado por todos os lados na lama ensanguentada. Um dia, os povos compreenderão a verdadeira origem de todos os seus males e, então, as bichas vorazes e nojentas serão duramente castigadas...

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -   

(...) Os governos são caixeiros e cobradores de banqueiros. A isso o liberalismo reduziu a Autoridade!

Triste, desgraçada condição a que nos rebaixava a economia política cujos postulados eram vitoriosos na época, criada e assoprada através dos livros, dos jornais e dos estadistas pelo capitalismo em vias de pletora e sempre insatisfeito, para quem os povos não são mais do que rebanhos que se tosquiam à vontade.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 


(...) Onde outro remédio no Estado Liberal abstinente em relação à economia e contentíssimo com a sua linda soberania econômica? Quem é que, então, se atreveria a falar em economia dirigida? A economia escapava ao Estado. Era do domínio individual. Todas as doutrinas em voga sagravam este princípio fundamental da sociedade. E a superstição do padrão-ouro, que ainda não sofrera a primeira quebra violenta, dominava o mundo.

domingo, 10 de janeiro de 2016

Respigado de Brasil - Colônia de Banqueiros

BARROSO, Gustavo. Brasil – Colônia de Banqueiros. 2ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1934. Páginas 25, 28, 60, 66.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Já é tempo de dizer a verdade ao povo brasileiro. Ela não consta, senão veladamente, das mensagens oficiais. Calou-a sempre a boca mentirosa ou covarde dos politicões do liberalismo. Embora acoimados pelos comunistas de servirem ao capitalismo, os Integralistas são os que até hoje têm tido a coragem de pregá-la – para que o colosso acorde, se espreguice, quebre as cadeias e, erguendo o tacape duma verdadeira liberdade, espatife os ídolos e os bezerros de ouro. (...)
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -- - - - -

A sociedade chegou a um ponto de bastardia moral tão grande que não compreende mais que se condem os atos dessa natureza. Chama-se a isso habilidade. Aperta-se a mão e coroam-se com títulos os homens que desse modo procedem, enquanto se mete na prisão o desgraçado que furtou um níquel para matar a fome dos filhos. O argentarismo sem piedade ganha, assim, bilhões, pouco se lhe dando dos prejuízos alheios, das nações que de digladiam, do sangue derramado nos campos de batalha, das viúvas e órfãos sem pão, das economias de povos inteiros que se submergem nas voragens das bolsas! A isso chama com razão a voz da Igreja immodica possidendi libido e isso é a grande causa das aflições por que tem passado, vai passando e ainda há de passar o mundo.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

(...) Antes de nós, Integralistas, ninguém fizera o povo brasileiro descer aos círculos dantescos desse inferno de sua escravidão, que ele nem mesmo suspeitava e que é a grande causa de todas as suas aflições. Nós resolvemos mostrar-lhe a verdade doa em quem doer, aconteça o que acontecer!
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -


(...) É a idade que se caracteriza pelo culto do êxito, pela materialização da vida, pela divinização do ouro, pelo pragmatismo, sem o menor vislumbre de piedade para com os povos escorchados. O capitalismo científico faz do capital uma abstração monstruosa que vai devorar a sua própria sociedade com o monstro comunista que gerará. (...)

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Obras de Barroso à venda


Apesar da campanha de silêncio em relação ao brilhante intelectual Brasileiro Gustavo Barroso, que se reveza com uma igualmente sórdida campanha de difamação, falseamento e ocultação da Verdade, o interesse sobre o Imortal Pensador vai crescendo dia a dia, para desespero dos inimigos do Brasil, o que tem justificado a reedição recente de algumas de suas Obras: Terra de Sol, À Margem da História do Ceará, Almas de Lama e Aço, Heróis e Bandidos e O Brasil na Lenda e na Cartografia Antiga. Os dois primeiros, infelizmente, já esgotados, mas, os demais, ainda disponíveis.
     - Almas de Lama e Aço
     Fortaleza: Editora ABC, 2012. 117 páginas
     Preço: R$45,00 (já com o frete incluído).

     - Heróis e Bandidos
     Fortaleza: Editora ABC, 2012. 197 páginas.
     Preço: R$50,00 (já com o frete incluído).

O interessado deve entrar em contato com o Prof. Pereira através do e-mail franpelima@bol.com.br ou pelos telefones (0xx 83) 9911-8285 (TIM) e 8706-2819 (OI).


- O Brasil na Lenda e na Cartografia Antiga – 2ª   ed.
São Paulo: Edições GRD, 2000. 190 páginas.

As condições de compra e envio deste devem ser solicitadas diretamente ao Editor Gumercindo Rocha Dorea pelo telefone (0xx 11) 3277-9616.

Anauê!

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Gustavo Barroso: Criador do 1º Super-Herói

Gustavo Barroso era uma inteligência invulgar, que se destacava em todas aquelas áreas que atraiam a sua atenção: Folclore, História, Política, Jornalismo, Direito, Memorialismo, etc. Também na Literatura, principalmente como contista e romancista histórico. Tem também um volume de Poemas, que surpreende num Autor que pouco se dedicara ao gênero.

Pois bem recentemente, o renomado Pesquisador de HQ, Rod Gonzalez, revelou ao Público Brasileiro algo surpreendente: Gustavo Barroso foi, o Criador do 1º Super-Herói do Brasil e do mundo!

Aos aficcionados em HQ recomendamos vivamente que visitem o Blog "Os Primeiros Super-Heróis do Mundo" . É excelente!

Anauê!

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Revolução Interior


Revolução Interior

Gustavo Barroso

Para a realização de tão grande obra política, econômica e social, o Integralismo tem de combater sem tréguas e sem piedade toda a repelente imoralidade do atual sistema de fraudes, enganos, corrupção e promessas vãs, bem como todo materialismo da barbárie comunista que alguns loucos apontam como salvação para nosso país. O atual regime pseudo-liberal e pseudo-democrático é um espelho da decadência a que chegou o liberalismo, que procurou dividir a Nação com regionalismos e separatismos estreitos, implantando ódios entre irmãos, atirados às trincheiras da guerra civil; com partidos políticos transitórios que sobrepõem as ambições pessoais aos mais altos interesses da Pátria e pescam votos, favorecendo os eleitores com um imediatismo inconsciente, em que tudo concedem ou vendem, contanto que atinjam ás posições.

Esse regime fraco e vergonhoso escravizou nosso Brasil, o pouco capital dos brasileiros e o trabalho de nossas populações abandonadas ao banqueiro internacional por um criminoso sistema de pesados, aladroados e sucessivos empréstimos externos, cuja funesta e primeira conseqüência é o esfolamento pelos impostos. 

O comunismo que agitadores estrangeiros, aliados a brasileiros vendidos ou inconscientes, inimigos da Pátria, nos prometem,  quer a destruição das pátrias,  da propriedade e da família, a proletarização das massas e a materialização do homem em todos os sentidos. Tirando ao individuo suas crenças e tradições, sua vida espiritual e sua esperança em Deus, sua família – que é sua projeção no Tempo, e sua propriedade – que é a sua projeção no Espaço, arranca-lhe as forças de reação, todos os seus sentimentos; deixa somente a fera humana e prepara-o assim, para definitiva escravização ao capitalismo internacional disfarçado em capitalismo de Estado. 

O Povo Brasileiro debate-se em verdadeira angustia econômica e anseia por novo padrão de vida; debate-se numa completa desorganização de sua existência pública e almeja nova forma de justiça social; debate-se em formidável anarquia de valores e na incultura geral, e precisa formar sem detença homens escolhidos que possam resolver os grandes e graves problemas da Nação. 

Urge a transformação completa do Brasil para salvá-lo, novo conceito de vida, novo regime, novo quadro de valores. Essa transformação completa, integral da Sociedade Brasileira fatalmente terá de ser resultado duma transformação completa, integral da Alma Brasileira no sentido do rigoroso cumprimento de todos os deveres para com a Família, para com a Pátria e para com Deus.

A lição de Jacques Maritain manda a Razão submeter-se a deus, que é o Espírito, e à Ordem Espiritual por Ele instituída. 

Só uma Revolução Moral pode produzir uma grande, digna e benéfica Revolução Social. Porque esta é projeção daquela. Por isso, a Doutrina Integralista afirma que a primeira revolução do Integralismo é a Revolução Interior.


BARROSO, Gustavo. O que o integralista deve saber. 1ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1935. Transcrito das páginas 14, 15 e 16.


segunda-feira, 5 de maio de 2014

Monumento de Gustavo Barroso vandalizado em Fortaleza.

O Monumento em Homenagem a Gustavo Barroso, em Fortaleza (CE), foi vandalizado por comunistas, anarquistas, "punks" e outros degenerados morais. 

Esperamos que as Autoridades Municipais tomem as providências imediatas para a limpeza do Monumento.

Anauê!







quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Un hommage à Gustavo Barroso (1888-1959)

A. A. Pires

Depuis la mort il y a presque cinquante ans de l’un des plus grands représentants du nationalisme brésilien – Gustavus Barroso – il y a eu un grand vide dans notre culture, qui s’est aujourd’hui remplie de pornographie, de violence et de mensonges. L’Académie des Lettres brésilienne a perdu l’un de ses principaux intellectuels, dont la place a été occupée par des écrivains stupides comme Paulo Coelho [1] et Zelia Gattaï [2] … le Brésil a tellement perdu avec la mort de Barroso.

Si un intellectuel comme Barroso est aujourd’hui oublié, c’est à cause de son appui au Mouvement intégraliste brésilien et en tant qu’adversaire des « ennemis du Brésil ».

Gustavus Dodt Barroso était né dans la ville de Fortaleza, Etat de Ceara, Brésil, en 1888. Son père était un Brésilien qui était toujours en étroit contact avec l’élite intellectuelle et artistique de notre pays. Sa mère, d’origine allemande, n’imagina jamais qu’un jour le « petit Gustavus » deviendrait une icône nationale.

La carrière variée de Barroso le vit avocat, directeur de périodiques, dessinateur, illustrateur, romaniste, poète, maître de folklore brésilien, essayiste, traducteur, diplomate, juriste, professeur.

Il occupa des postes officiels dans de nombreux corps nationaux et étatiques, incluant ceux de Secrétaire de l’Intérieur et de la Justice pour Ceara (1914), Représentant pour Ceara (1915-1918), secrétaire de la délégation brésilienne à la Conférence de paix du Venezuela (1918-1919), superviseur des écoles du District (1919-1922), directeur du Musée Historique National (à partir de 1922), représentant de la Commission Internationale des Monuments Historiques à la Ligue des Nations.

Il occupa divers postes à l’Académie des Lettres brésilienne, y compris ceux de premier secrétaire et de secrétaire général (1923-1959) et fut président de l’Académie pendant deux mandats. Il fut aussi membre de diverses sociétés érudites outre-mer, incluant l’Académie portugaise d’Histoire et l’Académie des Sciences de Lisbonne.

Pionnier de l’étude de la culture régionale brésilienne, Barroso fut l’une des trois personnes désignées pour coordonner les études du folklore brésilien. Il publia en français Mythes, contes et légendes des Indiens du Brésil (1933). Son premier livre Terra do Sol (terre du soleil) fut consacré aux habitants de son Etat natal de Ceara.

Son quasi demi-siècle d’écriture résulta en 150 livres approximativement.

INTEGRALISME

En 1932, Plinio Salgado [1895-1975] (lui-même éminent écrivain) publia un manifeste à la nation brésilienne. Ensuite fut créée la Acao Integralista Brasileira (Action intégraliste brésilienne) pour s’opposer aux buts coloniaux du capitalisme international.

Salgado rencontra Barroso lors d’une conférence en 1933. Avec Miguel Reale, ces trois hommes devinrent les grands représentants du mouvement nationaliste brésilien, qui attira presque deux millions de partisans.

Pendant cette époque Barroso écrivit de nombreux livres exposant la doctrine de l’intégralisme, incluant [en portugais] L’Intégralisme en marche ; L’Esprit du 20ème siècle ; Quatrième Empire, Brésil : colonie des banquiers ; Judaïsme, maçonnerie et communisme ; La synagogue de Sao Paulo ; et Corporatisme, christianisme et communisme. A cause de ces livres, Barroso fut considéré comme « antisémite ».

Cependant, le mouvement étant fortement basé sur le christianisme, Salgado répondait à ces allégations que « personne ne peut parler contre la race de la mère de Jésus ».

Barroso écrivit dans son livre Judaïsme, maçonnerie et communisme (1937) :

« Parmi nous l’antisémitisme ne peut pas venir d’un sentiment raciste. Ce qui se passe en réalité dans le monde, miné par le terrorisme, est du racisme juif …Nous ne pouvons pas accepter que des étrangers totalement séparés de notre vie nationale, stratifiés dans des colonies israéliennes [sic], influencent les destinées de la nation, perturbent l’évolution politique, le rythme de l’économie et l’ordre public. Dominant la presse et la propagande, fanfaronnant quand ils ne peuvent pas donner des ordres, interférant dans la vie financière, dans le marché et dans l’industrie, ils ne s’assimilent pas et ne s’identifient pas aux intérêts nationaux, ne se préoccupant que d’eux-mêmes. »

Comprend-on pourquoi le nom de Gustavo Barroso a disparu des bibliothèques et de notre histoire ? Ses livres fournissent eux-mêmes la réponse.

Barroso mourut en décembre 1959. Mais loin des librairies et des écoles, son esprit vit dans chaque nationaliste, dans chaque Brésilien respectueux : ANAUE! [3]


NOTES

[1] Auteur de best-sellers.
[2] Nouvelliste et épouse du regretté Jorge Amado, écrivain et fervent communiste.
[3] Anaue : « tu es mon frère », expression indigène et salut intégraliste.


Article publié dans la revue néo-zélandaise « Western Destiny », numéro 35, mai 2004.